sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

No comboio aprende-se muito

"A duquesa de Alba já estava morta, esqueceu-se foi de entregar a alma".
"Os videntes são aqueles que trabalham pessoalmente ou por carta".
"Lá vem a Tabaqueira defender a virgindade da nicotina".

terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Normal ou de máquina?


Ah a magia do cinema

Fomos ao Oeiras Parque* ver o Interstellar. A dada altura percebemos que havia um barulho estranho que aparecia e desaparecia a meio do filme, quase não nos deixando ouvir as personagens. "Será a nave?" pensámos. Não. Eram os secadores de mãos, na casa de banho ao lado da sala.

(e depois da reclamação, a funcionária resolveu o problema de uma maneira original: colou um papel a dizer 'avariado'. E funcionou.)

*sala 5, já sabem.

segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

realidade - 1 / eu - 0

estive de férias. hoje custou para levantar. muito. cheguei à estação e era greve da cp.

quarta-feira, 12 de Novembro de 2014

Bad shoe day

Farta de andar com os pés frios trouxe hoje os meus sapatos mais feios (tão feios que estiveram a uma unha do caixote do lixo) mas também os mais quentes (isto quase dava uma lição de vida).  Só não sabia eu que seria arrastada para a Zilian na hora de almoço.

sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

Dedicated to shiny happy people


"It has been fairly well established that the advent of the supermodel has damaged women's images of themselves by setting unrealistic expectations. The psychological supermodel of the twenty-first century is even more dangerous than the physical one. People are constantly examining their own minds and rejecting their own moods."

The noonday demon an atlas of depression, Andrew Solomon

sexta-feira, 10 de Outubro de 2014

A Shell, a Lego e os outros


Esta história da Greenpeace e da Shell com Lego à mistura é areia para os olhos. Que me interessa a mim que se venda ou não Lego nas lojas da Shell? A Shell vende aquilo que as pessoas compram. Enquanto não se mudarem os hábitos ou a tecnologia continuaremos a precisar de escavacar o planeta à procura de petróleo.

terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Não morra já, preencha aqui uns papéis

No outro dia enquanto descíamos a rua para ir almocar, vimos um senhor a ser atropelado (óptimo para se perder a fome). Prontamente uma colega minha ligou para o INEM. Parámos mesmo em frente à placa toponímica e rapidamente informou do nome da rua e da praça onde estávamos. Explicou que era atropelamento, que era um senhor idoso, que estava consciente e deitado no chão enquanto alguém lhe imobilizava a cabeça. Pergunta do outro lado: "mas em que freguesia é que está?"

segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Coitadinhos dos taxistas, já ninguém quer andar de táxi

Hoje pedi a um taxista que me trouxesse ao trabalho na hora de almoço e ele recusou-se "porque é já ali", ainda se riu na minha cara e virou-me costas. Eu realmente tenho muita pena dos taxistas e de ninguém andar de táxi, porque se 4€ para subir uma rua em 5 min não lhes chega, começo a questionar-me para que temos a cidade e a estrada cheia de aventesmas inúteis. Só lhes compensa se o quê, formos para Coimbra?

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

O Gato Fica


Ontem deixei internada no veterinário uma das gatas dos meus pais. Por baixo do espaço onde ficou e com um espaço duas vezes superior ao dela, estava "em hotel" um gato completamente saudável (com energia, vontade de brincar, etc) cujos donos tinham ido de férias. Fez-me imensa confusão pensar que um gato saudável vai ficar confinado a uma caixa com grades durante dias a fio. Por mais boa vontade que os donos possam ter, não sei como não percebem o quão cruel é deixar um bicho fechado ali dentro. Os hotéis para gatos também não são melhores. Simplesmente não se adapta ao feitio de um gato ser deixado pelos donos num sítio desconhecido, por mais agradável à vista que possa ser.

Para mim, o futuro são os serviços de catsitting como O Gato Fica, em que a Joana se encarrega de ir a casa ver do (ou dos) gato(s) umas horas por dia, trata das necessidades básicas, brinca com eles, escova-os e e ainda envia fotos para os donos. E eles ficam na casa que conhecem. A Joana claro não se multiplica e só está por Lisboa, mas parece-me uma ideia interessante para alargar a outras cidades.

Poupem-me a beleza

Não é novidade nenhuma que ninguém gosta do novo acordo ortográfico, mas um Sr. Dr. Magistrado recusar receber um processo escrito com o novo acordo, defendendo que "os factos não são fatos" e "os cágados continuam a ser animais e não algo malcheiroso" é no mínimo, parolo. Ninguém explica ao senhor quais foram as alterações?

terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Gatos encontrados


Não são gatos perdidos, são gatos abandonados. Sei lá, 90% das vezes?

Porque é que os "donos" não poupam trabalho e os abandonam logo nas instituições? Escusava uma pessoa de andar a colar cartazes, a partilhar fotografias, a chatear-se.

(é que tenho visto tantos gatos a serem "encontrados" nos últimos dias, parece quem escolheram o tempinho bom para os deixarem na rua à sua sorte)

sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Os velhos do Restelo do Ice Bucket Challenge

Já se questionaram quanto gastam de água em banhos diários? E quanto gastam só à espera que o esquentador aqueça a água? Eu sei, 5 litros. Um garrafão de cada vez que tomo banho. A minha solução foi encher dois garrafões alternadamente, que uso depois para regar as plantas.

Já pensaram quanto se gasta em autoclismos ou em garrafas de água nos restaurantes que ficam a meio? Quanto se gasta nas regas ao meio dia? Quanto se gasta de água em spas, tão na moda? Quanto se gasta em piscinas? Muitas delas com água de furos, que nem paga foi.

Nós gastamos muita água, é um facto. E sempre fui sensível a essa questão. Tento poupar em algumas coisas, noutras não consigo porque por exemplo, me dá prazer estar 20 min no banho. O Ice Bucket Challenge pode não ser a maneira mais eficiente e directa de resolver problemas a quem tem esclerose lateral amiotrófica (um donativo também me parece mais óbvio) mas o que é facto é que tem dado muitos minutos de fama a uma doença de que pouco se fala. Têm outra solução para ajudar? Óptimo! É preferível arranjar soluções a problemas.

quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Pessoas com cães que vivem na cidade

Por amor de deus, passeiem os cães com trela. Ainda há pouco saí de casa a correr com os ganidos de um cão que tinha acabado de ser atropelado, mesmo em frente ao dono. Parece que o bicho saiu disparado directamente da porta da rua para a estrada e não há condutor que consiga ver uma coisa com dois palmos de altura a pôr-se debaixo das rodas. O bicho fazia tal barulho que toda a gente veio à janela ver o que se passava. A culpa? Do idiota do dono. Desculpem, mas para mim só pode ser idiotice.

Pelo mesmo motivo, uma amiga minha atropelou mortalmente um cão cujo dono achou que tinha piada passeá-lo livremente numa praceta, no meio dos carros. Mais uma vez, ninguém consegue ver um bicho de dois palmos a pôr-se debaixo de um carro, no meio de outros carros.

Se querem dar-lhes liberdade levem-nos para a praia na época baixa, mas não lhes dêem uma morte estúpida por favor.

Tomem lá mais cinco razões.